Depressão em Idosos

* Por Tainá Rossi – Psicóloga CRP 07/28983

* Por Tainá Rossi - Psicóloga

  Envelhecer é um processo vivenciado por todos, desde o nascimento. A população idosa mundial vem aumen-tando com o passar dos anos, e com ela a vulnerabilidade para o adoecimento físico e mental. Entre as principais manifestações psíquicas do enve-lhecimento está o Transtorno Depressivo, atingindo cerca de 20% dos idosos, na sua maioria mulheres. Este transtorno pode ser agravado pelo baixo nível cognitivo, isto é, limitações do pensamento, autocuidado, saúde, segurança, e vida doméstica. Além disso, idosos que necessitam de cuidadores, não fazem atividades físicas e de lazer, ou não interagem socialmente. .

  Portanto, a família deve estar atenta às mudanças de comportamento, tais como: isolamento; choro frequente; tristeza; falta ou aumento de apetite; diminuição do interesse nas atividades de vida diárias; insônia ou hipersonia; fadiga; perda de energia; sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva; ansiedade; baixa autoestima; pensamentos recorrentes de morte. Lembrando que estes sintomas devem estar presentes diariamente ou na maioria dos dias.Atualmente o aumento do Transtorno Depressivo em idosos é um grande problema de saúde, pois demanda acompanhamento psicológico e demais estratégias para o seu tratamento. Nestes casos o psicólogo atua no tratamento individual, e na orientação familiar, buscando sempre a qualidade de vida. 

 

Ainda, o tratamento psicológico domiciliar pode ser utilizado aos idosos que tem dificuldades de deslocamento para ir ao consultório, por motivo de incapacidades e/ou dificuldades físicas/psicológicas. Nestes casos o profissional se desloca até a casa do paciente para o acompanhamento terapêutico e orientação familiar.