*Por Dr. Luis Felipe T. Lemes

Nada incomoda mais do que sentir dores frequentes no pescoço, ombros e escápulas, podendo, inclusive, vir acompanhadas de tontura e dor de cabeça. Na era da informática e smartphones que vivemos, isso é cada vez mais comum e precoce. Estas dores, chamadas de cervicalgias, têm várias possíveis causas e o que é importante saber a esse respeito, é que a cervicalgia não é uma doença, em si, mas sinal ou sintoma de um problema cuja causa deve ser atentamente observada, se queremos nos livrar definitivamente deste des-conforto. Sem um bom diagnóstico e tratamento, a tendência é que a situação se agrave gradativamente. A osteopatia francesa é uma abordagem terapêutica natural e segura, que ajuda o organismo a solucionar esse problema. .
Diferentes causas da cervicalgia: :
Cervicalgia mecânica: é o compro-metimento das estruturas cervicais, como hérnias, artrose, bicos de papagaio etc.
Cervicalglas traumáticas: resultado de choques diretos ou traumas repetitivos cervicalgia postural, provocada por má postura repetida no trabalho, leitura, ou até mesmo no repouso com uma postura inadequada no sofá ou durante o sono.
Cervicalgia tensional: cada vez mais presente na vida moderna, é desencadeada pelo estresse físico, psicológico ou emocional, causando tensão na musculatura que a longo prazo acaba agindo sobre as estruturas articulares do pescoço. .

Progressão
De maneira geral, as cervicalgias iniciam com tensão e contraturas simples nos músculos da região de escápulas, ombros e pescoço. Estes músculos, fáscias e ligamentos com tensão aumentada, além
de comprimir diretamente estruturas vasculares, podendo causar dores de cabeça, ligam várias estruturas entre elas. Por exemplo, os discos entre as vértebras, que são cartilaginosos, com um núcleo gelatinoso no seu interior, com o passar do tempo, cada movimento do pescoço para olhar para um lado ou outro se faz com uma pressão anormal exercida nos discos entre as vértebras por estes músculos, com tensão aumentada, o que acaba gerando maior atrito e desgaste, acelerado a cada movimento do pescoço, favorecendo o aparecimento das discopatias degenerativas, diminuindo o espaço entre as vértebras e, assim, favorecendo que estes discos se rompam e pressionem a inervação do pescoço, causando dores e sintomas, como formigamentos locais e irradiadas para ombros escápulas e braços. 

Nestes casos, a osteopatia francesa tem por objetivo devolver a mobilidade e tônus normal de todas estruturas envolvidas, liberando as tensões destes músculos, fáscias e ligamentos e, através de técnicas muito suaves e precisas, diminuir a compressão destes discos entre as vértebras, diminuindo a pressão exercida por estas estruturas nos nervos envolvidos, reduzindo ou, na maioria dos casos, terminando completamente com os sintomas apresentados pelo paciente.

DR. LUIS FELIPE T. LEMES – FISIOTERAPEUTA CREFITO 43597-F • Osteopatia Geral e Visceral Maison de la Thérapie Manuelle, Paris, França – 4 anos; • Osteopatia Crânio Sacral Maison de la Thérapie Manuelle, Bordeaux, França – 2 anos; • Osteopatia Pediátrica Maison de lalhérapie Manuelle. Bordeaux, França – 1 ano; • Acupuntura Université Bordeaux II Bordeaux, França – 3 anos; Fisioterapia – IPA Porto Alegre – 5 anos; • Coordenador Pós-Graduação em Osteopatia Clínica – Faculdade Inspirar; • Membro da Malson de la Thérapie Manuelle – França.

DR. LUIS FELIPE T. LEMES – FISIOTERAPEUTA CREFITO 43597-F • Osteopatia Geral e Visceral Maison de la Thérapie Manuelle, Paris, França – 4 anos; • Osteopatia Crânio Sacral Maison de la Thérapie Manuelle, Bordeaux, França – 2 anos; • Osteopatia Pediátrica Maison de lalhérapie Manuelle. Bordeaux, França – 1 ano; • Acupuntura Université Bordeaux II Bordeaux, França – 3 anos; Fisioterapia – IPA Porto Alegre – 5 anos; • Coordenador Pós-Graduação em Osteopatia Clínica – Faculdade Inspirar; • Membro da Malson de la Thérapie Manuelle – França.

Osteopatia Francesa Drs Luis Felipe Tocchetto Lemes e Kaciane Boschetti

Rua Aneron Correa de Oliveira, 47 - Porto Alegre/RS

(51) 3351-5165 / (51) 98208-8503